Rodas de validação de experiências bissexuais

Porque ninguém precisa se sentir sozinho

 

Funcionamento das rodas

Iniciadas por Santiago de Paiva e Wesley Torres Rodrigues e 2018, as Rodas de validação de experiências bissexuais ocorrem costumeiramente no Centro Cultural São Paulo, localizado no bairro da Vergueiro, em São Paulo, SP. Unidos para compartilhar experiências e fazer crochê, as Rodas contribuem para que ninguém se sinta sozinho e para que possam compartilhar suas experiências e vivências bissexuais.

Não precisa de inscrição, nem de sinalização prévia dos participantes, funcionando de “portas-abertas”, de modo que qualquer pessoa que se interessasse pudesse participar. O espaço é de troca e validação de experiências para pessoas monodissidentes, de modo que elas se sintam acolhidas e representadas, além de livres para expressar suas vivências sem julgamentos morais ou preconceitos.

O crochê é utilizado como “pano de fundo” para a troca de experiências, sendo que ele não é um recurso obrigatório para a participação na roda. Quem não conhecer a técnica pode aprender a fazer com o material disponibilizado (lã e agulhas), caso tenha interesse. Em alguns momentos, o crochê serve como analogia para as vivências ou como mecanismo para aliviar a tensão de alguns debates!

Os participantes não são obrigado a expor suas vivências, já que o pressuposto é que cada pessoa tem uma relação diferente com as suas experiências e abordar certos assuntos pode gerar sofrimentos. Quando alguém fica confortável para falar e “se abrir” sobre certo assunto, ela ganha espaço para isso e o grupo pode fazer correlações com os prováveis motivos daquilo estar ocorrendo na vida da pessoa, gerando um clima de acolhimento e coletividade!

Atente-se às nossas redes sociais para saber quando vai ser a próxima Roda de validação de Experiências Bissexuais! Sempre criamos um evento no Facebook com a data e o local!

 

"Da invisibilidade ao reconhecimento: experiência de roda de conversa e validação da bissexualidade em São Paulo"

No período de 2017 a 2018, membros do Coletivo Bi-Sides participaram do Comitê de Saúde Estadual de Saúde LGBT de São Paulo. Lá, nos foi possibilitado escrever um artigo cientifico voltado para profissionais da saúde pública, descrevendo e detalhando o funcionamento das Rodas de validação de experiências bissexuais. Abaixo, o resumo que abre o artigo: 

"O presente artigo trata sobre a realização da 'Roda de Validação de Experiências Bissexuais' realizada em São Paulo durante oito meses, que se utilizou de técnicas de crochê como pano de fundo para facilitação dos encontros. A roda de conversa surgiu com o intuito de levantar uma maior discussão sobre as vivências, demandas, aspectos positivos e negativos das experiências relatadas, além de proporcionar união e fortalecimento da população presente em um espaço onde se sentissem acolhidos e confortáveis para expor livremente aspectos individuais, entendidos como vivência de cada participante, porém buscando compreender se há e quais são as questões sociais por trás destes momentos.

 

Palavras-chave: Bissexualidade; Validação; Roda de conversa".